Merchandising sem Faustão?

Merchandising sem Faustão? Artigo de Daniel Aguado

Ao anunciar a sua saída da Rede Globo, o apresentador Fausto Silva coloca um ponto final num dos programas de maior sucesso comercial da televisão brasileira. Ao longo de mais de 30 anos no ar, a atração dominical tornou-se uma poderosa ferramenta de marketing para centenas de privilegiadas marcas que, em busca de prestígio e muito alcance, consideravam o Domingão do Faustão a ferramenta ideal para se comunicarem com milhões de lares brasileiros.

Você pode não gostar do conteúdo da atração, mas a verdade é que o Faustão elevou o merchandising televisivo a um patamar muito superior. Em variados formatos de execução, incluindo ou não o testemunhal do apresentar, o resultado das marcas endossadas pelo apresentador é surpreendente. Foram inúmeros casos de sucesso e marcas totalmente construídos sob o bordão ‘Ô lôco, meu’!

Fininvest, JAC Motors, Magazine Luiza, Claro, Vigor e tantas outras marcas desfilavam os seus diferenciais ao comando de um apresentador muito carismático, experiente e, acima de tudo, envolvido com o produto a ser demonstrado no palco do seu programa. Isso mesmo, o Fausto Silva sempre dedicou muito tempo com os seus anunciantes para entender os objetivos a serem alcançados com aquela ação, o contexto do mercado, os diferenciais do produto e todos os desafios que faziam uma empresa investir alguns milhões em seu programa. Uma postura muito rara no meio televisivo.

Por cerca de dois anos, ao longo da minha passagem profissional pela Redecard (REDE), tive a oportunidade de conduzir uma série de ações publicitárias na atração do apresentador e, em muito momentos, incorporávamos aos textos, aos vídeos e aos acessórios cênicos ideias recomendadas diretamente por Faustão. O seu envolvimento era sempre com o objetivo de gerar mais naturalidade às ações e, consequentemente, trazer mais resultados à marca.

Sem dúvida, a sua saída abrirá caminho para novos conteúdos e gêneros no domingo da Globo, mas deixará uma enorme lacuna no faturamento da emissora carioca. Dificilmente, um outro apresentador(a) ou um programa conseguirá reproduzir os resultados desse emblemático comunicador!

Por: Daniel Aguado – Diretor de Marketing do Poliedro Educação

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/daniel-aguado-1b7b229/

 

Leia outros artigos de Daniel Aguado:

Growth Marketing: a nova expressão da moda

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/sai-ford-entra-tesla/

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/ita-uma-nova-marca-nos-ceus-brasileiros/