As “marcas invisíveis”

As marcas invisíveis

Quantas marcas de refrigerante ou de shampoo você é capaz de citar prontamente? Caso a sua memória seja muito boa, acredito que consiga mencionar até 10 marcas diferentes. No entanto, o fato é que existem dezenas ou centenas de marcas por categorias de produtos ou serviços e, para a grande maioria dos consumidores, elas são completamente invisíveis, apesar de realizarem esforços recorrentes de marketing e de comunicação. Um fenômeno que tenho acompanhado há alguns anos, para tentar mapear e compreender como as marcas invisíveis atuam para conquistarem algum tipo de relevância com nichos específicos de consumidores.

Nesse contexto, é importante destacar que, em muitos casos, as marcas invisíveis possuem boa reputação com seus clientes, pois entregam efetivamente aquilo que prometem e tendem a oferecer uma boa relação entre custo e benefício. Uma característica louvável, se tomarmos como exemplo, o recente escândalo envolvendo a Nestlé e os rótulos mentirosos da linha de produtos Nesfit.

E, se ‘ninguém’ lembra dessas marcas, qual a razão delas realizarem constantes esforços de marketing? Qual a motivação por trás dos profissionais que atuam para construírem esses posicionamentos? A verdade é que as respostas não são simples, mas nos ajudam a entender a importância que o trabalho de marketing exerce sobre os negócios e as vendas. Uma boa estratégia de marketing, pautada em técnica, dados e argumentos assertivos ao consumidor, é essencial para a sobrevivência de qualquer tipo de produto ou de serviço; num mercado cada vez mais difuso, complexo e pouco linear.

Por outro lado, as marcas invisíveis também contribuem para termos uma concorrência mais saudável, pois elas desafiam os status quo das grandes marcas – top of mind -, apresentando alternativas mais viáveis e críveis aos consumidores. Afinal, um consumidor mais crítico refletirá sobre o real valor da marca versus os atributos entregues por seus produtos e serviços. Enfim, trata-se de um tema de ampla reflexão e discussão e que você já pode começar na sua casa: quantas ‘marcas invisíveis’ estão na sua dispensa nesse momento?

Por Daniel Aguado | www.danielaguado.com.br

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/daniel-aguado-1b7b229/

 

Leia mais notícias:

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/um-novo-tempo-que-comecou/

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/prontoa-para-ser-uma-nomade-digital/

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/diversidade-alem-do-cliche/