O fim do trade marketing?

O fim do trade marketing? por Daniel Aguado

A pandemia do novo coronavírus acelerou a digitalização de quase todos os segmentos da economia. Aquelas empresas que ainda relutavam ou enfrentavam dificuldades para incorporarem o uso da tecnologia, em poucos meses, viram-se obrigadas a absorverem toda e qualquer inovação capaz de manter a sobrevivência dos negócios.

No entanto, após passarmos por essa fase inicial, o fato é que nos deparamos com uma nova situação: a tecnologia permanecerá e ampliará a sua presença em todos os mercados, mesmo após a retomada das atividades presenciais. E, esse novo contexto, coloca em xeque a atuação de uma das disciplinas mais off-lines do marketing: o trade marketing.

Como as agências especializadas e os profissionais de marketing se adequarão ao novo cenário mercadológico? Quais serão as ferramentas digitais capazes de aumentar as chances de vendas no PDV físico? Como o consumidor irá interagir ou experimentar determinados produtos e serviços fora do ambiente presencial? São inúmeros os desafios e as incertezas para essa disciplina bastante questionada nas empresas nos últimos anos.

O alto custo para manter uma marca ativa no PDV e a dificuldade em estabelecer indicadores eficientes sobre os resultados incrementais gerados, especialmente no relacionamento B2B, tornam ainda mais desafiadores o papel do novo trade marketing nas empresas. Por outro lado, abre-se uma excelente oportunidade para experimentarmos novas possibilidade de interação e conversão de vendas, especialmente, se pensarmos que a experiência digital é extremamente adaptativa e focada em oferecer muita simplicidade aos consumidores. É possível conectar o PDV ao smartphone do consumidor e criar promoções personalizadas para quem usar um QR code aplicado às gôndolas do supermercado. Ou, então, usar táticas promocionais consagradas, agora, com um toque de inovação: comprou, fotografou e ganhou um voucher virtual.

O desafio está colocado. As marcas e os profissionais mais preparados, seguramente, saberão tirar o máximo de proveito desse momento e, além de gerarem mais resultados de vendas, provavelmente, conseguirão construir uma imagem mais renovada a seus respectivos produtos e serviços. Por que não experimentar?

Por: Daniel Aguado – Diretor de Marketing do Poliedro Educação

LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/daniel-aguado-1b7b229/

 

Leia outros artigos de Daniel Aguado:

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/voce-esta-preparado-para-ser-cancelado/

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/desenvolva-a-sua-empregabilidade/

https://marcaspelomundo.com.br/destaques/por-que-precisamos-falar-sobre-a-natura/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *