ABO2O anuncia novo Comitê de Tecnologia, liderado por Gulherme Kato

A ABO2O, Associação Brasileira Online to Offline, anuncia o Comitê de Tecnologia, que será liderado pelo executivo Guilherme Kato.

A ABO2O, Associação Brasileira Online to Offline, anuncia o Comitê de Tecnologia, que será liderado por Guilherme Kato, a fim de fomentar os debates acerca da escalada tecnológica no mundo corporativo.

O objetivo do comitê, além de tratar dos desafios que estão por vir em decorrência da transformação digital, é possibilitar o compartilhamento de experiências para ajudar as organizações a estruturarem uma agenda nacional de políticas públicas voltadas para a inclusão, digitalização e adoção de tecnologias a fim de tornar as empresas brasileiras mais competitivas frente ao cenário global.

Bacharel em Ciências da Computação pela PUC e com MBA pelo Insper, Guilherme Kato é CTO do Dr. Consulta e possui vasta experiência no mercado de TI, com atuação em grandes companhias. “A minha ideia é fomentar iniciativas de Inteligência Artificial. Acredito que o Brasil faz muito na área, mas ainda está um pouco atrás dos demais países, principalmente no que diz respeito à captura, gestão e aplicação de dados e de novas inteligências”, comenta Kato. Segundo ele, há alguns benchmarks no país, mas ainda são poucos e existem vários cases internacionais que podem ser discutidos.

A cibersegurança também será outro assunto frequente na agenda do novo Comitê da ABO2O. Na opinião de Kato, o tema ganhou uma relevância muito grande nos últimos anos dentro das corporações, principalmente com a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Com a enxurrada de dados e tecnologia em função do 5G, o executivo espera abordar essa questão a partir dos desafios que as empresas tendem a enfrentar com a escassez de mão de obra qualificada. De acordo com o especialista, é uma grande oportunidade para formar mais engenheiros, técnicos e demais profissionais que trabalharão com essas próximas ondas tecnológicas.

Além destes temas, Guilherme espera debater ainda sobre os caminhos para a democratização de dados nas empresas, uso ético de dados e bias em algoritmos de Machine Learning, adoção de Blockchain em negócios e empresas tradicionais, os principais gaps do mercado brasileiro nos assuntos de IA, IOT, Dados e Digitalização, discussões sobre cases disruptivos e muito mais.

Leia mais notícias:

https://marcaspelomundo.com.br/