A pandemia não pode matar o relacionamento

Renato Acciarto - Artigo: A pandemia não pode matar o relacionamento

Como saída para tentar manter vivas as marcas e os produtos em tempos de pandemia, lockdown e necessidade de distanciamento social, as empresas recorreram as lives, os webinars, na onda da digitalização. As ferramentas que possibilitam as apresentações e reuniões online foram aprimoradas, de fácil entendimento, e o trabalho fora de escritório se tornou algo real, habitual e parte do novo normal.

Mas esse movimento online, o qual as pessoas se transformaram em caixinhas na tela do computador ou celular, que dá a impressão de acesso fácil, disponibilidade a qualquer hora, quase que irrestrito, pode estar afetando um dos pontos mais importantes para o sucesso de empresas junto aos seus públicos: o relacionamento. Se você acredita que a digitalização substitui tudo, repense.

Enquanto o ser humano for feito de carne, osso e necessidade de interação interpessoal, e não de bits e bites, acredite no relacionamento, principalmente quando a divulgação de um produto envolve a imprensa, os influenciadores, por exemplo. Eles, que estavam habituados ao contato com a marca, produtos e executivos frequentemente, de uma hora para outra ficaram distantes dessa relação interpessoal.

Não, o online não é o melhor território para o relacionamento com os formadores de opinião, inclusive os influenciadores digitais. Receber o convite via e-mail ou whatsapp, entrar em um link e assistir tudo via eletrônica cria distanciamento indesejado.

As interações sistemáticas ajudam no conhecimento sobre sua empresa, produto, cria interesse, e se diferencia quando bem feita, principalmente quando nomes e cargos se transformam em pessoas reais. O contato pessoal gera credibilidade, permite a leitura da comunicação corporal e também a conversa além do profissional, conhecendo detalhes da vida pessoal, o que permite a humanização.

Outro resultado é que a proximidade com as pessoas gera o “good will”, termo de Relações Públicas que expressa a boa vontade que o relacionamento interpessoal promove, muitas vezes inconscientemente, escrevendo frases mais positivas, maior espaço de divulgação e melhores destaques dos formadores de opinião a respeito da sua marca ou produto.

Você tem ligado, enviado uma carta a mão, ou pedido para seu assessor entregar o produto em mãos para seus jornalistas e influenciadores mais relevantes? Sim, ser “old school” em tempos de digitalização é fundamental. Traz de volta aquela percepção de proximidade, afago necessário a quem era tão próximo e agora está a uma tela de distância.

Pode acreditar que as marcas que estiverem mais próximas de seus parceiros de negócios sairão dessa pandemia certamente com ainda mais diferenciais. Como juntos na saúde e na doença, lembra? Na normalidade ou na pandemia? São muitas empresas, muitos produtos, muitos executivos. Não seja só mais um que também saber fazer uma live.

Por Renato Acciarto, profissional de Comunicação Empresarial

https://www.linkedin.com/in/renato-acciarto-a568a41b/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *