Free Free lança plataforma online de educação para mulheres em vulnerabilidade

Free Free lança plataforma online de educação para mulheres em vulnerabilidade.

O Free Free, plataforma multidisciplinar e instituto com atuação por um mundo onde meninas e mulheres possam alcançar a liberdade física, a saúde emocional e a independência financeira, lançou uma plataforma online de educação para mulheres em situação de vulnerabilidade social e emocional. A plataforma oferece vídeo aulas, palestras, workshops e mentorias sobre saúde emocional, autoestima, voz, direitos, abuso, maternidade, empreendedorismo, carreira e finanças.

Lançado em março para comemorar o mês das mulheres, o projeto também sediará os programas sociais, entre eles o Ciclo Free Free, que já impactaram 10 mil meninas e mulheres. Os ciclos promovem encontros digitais (no momento) para estimular autoconhecimento, promover reconexão com a potência criativa e desenvolver habilidades técnicas para que meninas e mulheres sejam protagonistas de suas vidas. O projeto tem apoio das marcas Life by Vivara, Eqlibri, PepsiCo, Pantys, Riachuelo, Pantys, GoCase, Chandon.

Desenvolvido pela CEO Yasmine McDougall Sterea, a plataforma conta com lideranças femininas para capacitar e prestar mentoria a mulheres em seus recomeços. “Só o conhecimento liberta. Vamos oferecer uma plataforma de educação totalmente gratuita, com workshops, palestras, aulas e encontros – no momento, onlines. Queremos capacitar cada vez mais meninas e mulheres para que elas entendam os seus direitos, se desenvolvam emocional e profissionalmente, se libertem financeiramente e consigam ter ferramentas para sonhar e para tornar cada um de seus sonhos realidade. Nossa missão é diminuir o gap da equidade de gênero no país e levar liberdade física, emocional e financeira para mulheres – e a educação é a base dessa jornada ”, diz Sterea.

A plataforma conta com líderes de diversos Estados para atuação em nível nacional. São elas: Dra. Dulce Helena Freitas Franco (Acre), Dra. Suzana Broglia Feitosa de Lacerda (Paraná́), Dra. Amparo (Piauí́), Dra. Carla Araujo (Rio de Janeiro) e Dra. Sara Gama Sampaio (Bahia).

“Mulheres de todas as idades e classes sociais foram severamente atingidas pela pandemia. Além da sobrecarga de trabalho, cuidados com a família e filhos, estresse e ansiedade, inúmeras mulheres perderam sua fonte de renda. Com o projeto, queremos amparar essas mulheres e ajudá-las a reconstruir sua história.  Além disso, com foco nas mulheres em situação de violência e vulnerabilidade, criamos um canal específico para encaminhamento de vítimas pelo Ministério Público aos projetos.  Nesse momento, mais do que nunca, é preciso unir forças para superar as dificuldades e ajudar nossas mulheres e meninas”, diz Valéria Scarance.